sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Muitos...

consideram que exponho demasiado a minha vida aqui, talvez, mas também não faria sentido este espaço senão vos falasse das minhas experiências, das minhas vitórias, do meu perder...E por isso mais uma vez conto-vos uma das minhas histórias. Não olhem para isto com tristeza pensem o contrário, pensem que partilho com vocês para vos incentivar, para vos dar força e para mostrar que estas coisas acontecem mas que não é o fim do mundo.
Passei dois anos da minha vida com o cabeçudo, desculpei mil e uma coisas, tantas que nem vou estar a relatar aqui porque olhando para trás nem eu sei como permiti tal coisa. De qualquer forma, achei por bem dizer-vos a última, para vos mostrar que realmente (e sim eu ainda acredito nisso) há homens bons, mas também há homens muito maus, que nos dominam e levam sempre a melhor. O cabeçudo fez anos há dois dias e eu dediquei-me a 30 mil para o surpreender, para o fazer feliz (como viram nos post anteriores). Nesse dia disse-me que iria jantar e que depois iria ter comigo. O que me fez pensar logo na altura "Se vai jantar porque raio não vou eu também?" Fiquei com o bichinho e "meio sentida" com aquilo mas continuei com a minha rotina, fui ao ginásio, fiz o jantar, falei com umas amigas e foi quando me deu o clique que não sabia nada dele desde meio da tarde. Tentei ligar uma vez não atendeu, tentei ligar segunda e o telefone já não dava sinais de vida. Pela primeira vez em dois anos (sim, porque o cabeçudo fazia isto imensas vezes) armei-me em maluca (e quem me conhece sabe que isto não tem nada a ver comigo, sou demasiado calma e odeio confusões) e tomei uma atitude. O cabeçudo não é muito inteligente (a não ser para me dar a volta, ou talvez seja eu demasiado burra, fica a dúvida) e por isso estava a jantar no sítio onde vai sempre com os amigos. Inocente, ainda pensei que teria saído do trabalho e teria ido jantar com 2 amigos, qual não é o meu espanto quando aquilo era a verdadeira "party animal". Era um jantar planeado, com todos os amigos e as suas respectivas namoradas.Não me deu nenhuma desculpa, aliás nem pediu desculpa (típico de pessoas sem o mínimo de consciência). Disse o que tinha a dizer e retirei-me como gente decente. Antes disso terminei ali aquela relação. Jurei a mim mesma que não voltaria a passar por alguma coisa deste tipo. Antes que tirem já conclusões, digo-vos que esta última "peça" foi basicamente o fim da linha. Histórias destas foram constantes nos últimos anos, algumas eu própria relatei aqui...Não me perguntem como tolerei, não sei responder, talvez gostasse demasiado, talvez me tivesse perdido no meio daquele enredo, ou talvez não fosse a mulher forte que agora sei que sou! Os primeiros dias são os piores, ficámos o drama em pessoas, chateámos os nossos amigos e chorámos mesmo quando não queremos. São dias difíceis, mas não passam disso, dias. Depois desses dias vão haver dias bons, dias bonitos, dias alegres, dias felizes...mas temos que passar pelos dias maus, só assim é que passa. Eu falo com amigos, ouço música, vou jantar fora, vou ao ginásio, faço tudo para me distrair. Volta e meia apetece-me fazer-lhe a vida negra, chamar-lhe um otário, um anormal, mas penso "Sou uma diva" não preciso disto". E acreditem, essa é atitude!


Nota: E sim, o cabeçudo ficou com o relógio. É vida! E sim, estou desiludida, desanimada, com vontade de me armar em Bridget Jones e beber 10 shots seguidos...



quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Hoje...

Desiludi-me, chorei, ergui-me, fiz frente, fiz-me de forte e acabei uma relação que já há muito deveria ter acabado. Lembrei-me da Cláudia Vieira e dei-lhe toda a razão "Os homens são uns cobardes"! Fechei as portas e as janelas ao amor, disse-lhe adeus...Libertei-me, gritei quando quis e disse o que me apeteceu, desapareceu-me o nó. Desabafei com amigas, com a minha irmã, enviaram-me mensagens queridas, bonitas...Confortaram-me! Foram mais de dois anos a viver com os altos e baixos, com o amor e com o ódio, com as mentiras e as desilusões, com os 8 e com os 80...Foram dois anos...Saio mais desiludida do que nunca, fosse eu mais esperta e teria eu terminado isto logo no primeiro ano. Sou teimosa, quis tentar e tentei. Dei o que tinha e o que não tinha, esforcei-me, fui compreensiva, tolerei o intolerável, controlei-me, dei espaço, fui adulta, fui sincera, fui amiga, fui tudo e mais alguma coisa, não poderia ser mais. Descobri que não sei nada do amor...talvez um dia!

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Voltámos à prenda?

Já estavam aí a desesperar para saber o que tinha comprado não é? Pois bem, depois de todos aqueles dilemas escolhi este relógio da Timberland. Sabia que ele ia gostar...E pelos vistos gostou. Teria sido a melhor prenda de sempre (modéstia à parte) caso o chefe dele não lhe tivesse oferecido uma viagem a Munique para o festival da cerveja. Quer isto dizer que o "chefão" me mandou um encontrão com o rabo e eu fui parar ao outro lado da rua. E o "chefão" é um homem, agora imaginem todo o cenário se fosse uma mulher...

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Vocês já ouviram falar sobre isto...

pelo menos umas mil vezes mas como nunca foi falado por mim achei que também teria direito a desabafar, queixar, ironizar entre outras coisas.
O meu cabeçudo faz anos amanhã. Sim, leram bem, amanhã. E eu como sou uma pessoa bastante organizada (ou não), fui comprar-lhe um miminho ontem (é mais um mimão, mas pronto isto sou eu a dizer). Andava há dias perdida sobre o que lhe ia dar, não fazia a mínima ideia, até recorri às várias listas de blogues com ideias para "presentear os mais que tudo" ("mais que tudo" expressão demasiado pirosa mas bastante utilizada em títulos de presentes para namorados). Vai daí que me lembrei de lhe dar um casaco e pareceu-me uma boa ideia uma vez que o cabeças não tem nenhum casaco e anda sempre a bater o dente. Esperta como sou dediquei-me uma horinhas a procurar em alguns sites (tipo Zaras e afins). A ideia era chegar lá, pegar e andar. Não aconteceu! Nenhum dos casacos me entusiasmou e às tantas já parecia que estava a escolher um casaco para mim e não para ele. Não havia aquele clique e foi então que em conversa com uma amiga comecei a ponderar sobre as alternativas (todas elas com a conclusão de que não era uma alternativa válida) Ora vejam:

- Playstation 4 

 Tinha a certeza que se lhe oferecesse isto ele nunca mais me deixava (ou não) mas havia duas incompatibilidades. A primeira ele queria muito isto, a segunda eu não tinha nem metade do dinheiro. Sou pobre! 300 euros dava para pagar a minha renda de casa e ainda sobrava, por isso não era uma opção.

- Bilhetes para o jogo do FCP 

 O cabeçudo e o FCP são os melhores amigos e por isso seria uma grande ideia, o único senão é que o cabeças é comercial e tem, normalmente, os bilhetes de borla

- Perfume 

 O cabeçudo adora perfumes, mais do que eu, não acreditam? Deu-me um perfume no Natal e está quase cheio. Comprou um para ele na mesma altura e dois meses depois já não tinha perfume. Então era isso, comprava o perfume e não pensava mais nisso. Mas aí a minha veia romântica que esteve calada durante 1h lembrou-se de dizer "Ah mas é um perfume, ele vai gastar aquilo e depois já nem se vai lembrar que lho dei" e mais blá blá blá. Típico de uma namoradinha chatinha, sem sal, que quer agradar o namoradinho. Credo ontem transformei-me mesmo num pequeno monstro. Descansem hoje já estou no meu normal

- Sapatilhas  (ou Ténis, caso haja alguém do centro a ler-me)

 Ora o cabeçudo gosta de sapatilhas, era uma boa ideia...só que ele gosta de sapatilhas que eu normalmente odeio por isso o mais provável era escolher um par que ele iria odiar.

Depois destes dilemas todos, de quase 2h a entrar em lojas de homem e nem dizer um olá à nova colecção de mulher lá me decidi. Amanhã digo-vos o que foi, hoje não, não vá chegar aqui o cabeçudo e descobrir a "surprise". No Natal vai ser tudo mais fácil, até porque já me decidi,  vai levar com uns boxers e uns chocolates em forma de Pai Natal.

domingo, 25 de setembro de 2016

Alguém disse...

"Lembra-te que por vezes não conseguires o que queres é um maravilhoso golpe de sorte"

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Difícil...

É estares habituada a não depender de ninguém, a desenrascar-te, a resolver aqui e ali e acontecer-te uma merda que não consegues controlar e por isso também não consegues resolver. Ontem disseram-me que tenho que ter calma e esperar, que isto "um dia passa". Não gosto nada do "um dia passa", gosto de ir lá e resolver, mexer-me, desenrascar-me...esperar que isto se resolva é pedir-me demasiado.

Quem nunca...Go Jenny


sábado, 17 de setembro de 2016

Ai o sábado...

É o meu dia preferido! É o dia em que me espreguiço à vontade, que fico na ronha até me apetecer, que me arrasto até à cama com uma caneca de café, que leio a minha revista, que vejo séries até ao meio dia...Ás vezes faço panquecas para acompanhar o meu bom humor, outras fico-me pelos ovos mexidos e pelo croissant. É o dia do meu descanso, o dia de não fazer nada, o dia de ouvir música alta com os pezinhos a acompanhar a música. Sábado é sem dúvida um bom dia!

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Scandal...

e Olivia Pope dizem-vos alguma coisa? Não? Pois, bem apresento-vos o meu vício dos últimos tempos (ou pelo menos era até eu acabar a 5a temporada). Não só amo a série como passei a olhar para as campanhas eleitorais dos EUA com outros olhos. Numa altura onde vemos o Trump a atacar a Hillary e vice-versa é impossível não nos lembrarmos de todas as estratégias engendradas pela Olivia e os seus fiéis companheiros. Há tanta coisa detrás de todas aquelas histórias que nos chegam...Se antes me passava tudo um bocado ao lado e se "comia" tudo aquilo que me chegava através da comunicação social, agora questiono tudo e mais alguma coisa. Provavelmente, isto até foi mau, principalmente para quem divide o sofá comigo ao mesmo tempo que vê as notícias, mas é engraçado como por causa de uma série passámos a questionar tudo e mais alguma coisa.
Sou fã da Olivia Pope, mesmo com as "asneiradas" que ela faz ali pelo meio, gosto dela, gosto da mulher que é, da firmeza que tem. Quanto aos outros é impossível dizer que gosto ou odeio, porque se num episódio odeias a Mellie no outro vais adorá-la e acho que funciona assim com todas as personagens.
Isto tudo para vos dizer que se andam meio perdidos e sem séries na mira vejam esta! Eu por agora (e depois de ter visto a temporada 5 em dois dias) tenho o botão "pause" ligado. A nova temporada só chega em Janeiro...vou só ali deprimir e já volto.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Vale a pena falar disto!

Quem me lê vai achar que eu ando a ficar maluquinha com a idade, que ando a dramatizar e ainda só tenho 28 e mais blás blás blás (eu sei que é blá blá, mas blás blás tem mais pinta). Isto não é sobre a idade é sobre uma pequena mudança e achei por bem escrever e registar o momento para quando tiver uns 40 e picos vir aqui ler isto e lembrar-me que era uma croma.
Já vos disse que este fim de semana (neste caso o fim de semana começou na quarta-feira e só termina hoje às 5h da manhã - a correr bem) foram as festas "populazudas" aqui da zona onde eu moro/trabalho/nasci. Lembro-me que desde os meus 15 aninhos e até aos meus vá 23 anos, as festas começavam na quinta-feira e prolongavam-se até à segunda feira. Eram 5 dias de festa, de dançar até não sentir mais os pés, de comer cachorros às 5h da manhã, de beber mas sem cair (sempre a manter o estilo), de  falar com toda a gente, de rir até me doerem as bochechas, enfim, era uma loucura. Entretanto, passaram-se os anos e fui reduzindo as saídas, se saía na quinta-feira e na sexta-feira já não saía no sábado e na segunda feira já era dia de cair na cama cedinho porque o dia a seguir era de trabalho. Conclusão, aos bocadinhos as festas "populazudas" da terra ficaram reduzidas a 2 ou 3 dias. E foi então que chegou o ano do inacreditável, o ano em que só saí 1 dia (ou melhor uma noite porque de dia estive a trabalhar). Não me perguntem como cheguei a este ponto (nem eu sei), só sei que nos melhores dias das festas trabalho, que o meu fígado já não aguenta beber 5 dias seguidos e que depois de uma noite de borga tenho que passar um dia na cama a dormir, dormir e dormir. Sei que a culpa não é da idade, até porque os meus colegas (e o cabeçudo) continuam a ter pedalada para 5 dias de festa, alguns até ficam para o after
, por isso o problema deve ser mesmo meu. E isto preocupa-me, será que estou a envelhecer mais depressa do que eles? Ou será que comecei a ser a "fraquinha" do grupo? Ou será que agora sou uma daquelas cromas? Deve ser isso, agora sou uma croma!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Hoje é o dia...

Em que vou adormecer a ouvir 490 concertinas...Tão bom!


Nota: os próximos dias vão ser de festa na terra, e eu moro mesmo no coração da festa. A parte boa é que posso beber até cair e cair directamente na minha cama, a parte má é que já só aguento 1noite de copos e são 4noites

Nunca digas nunca...

Sempre disse que nunca iria tratar da roupa de um namorado...acabei de pôr a secar os boxers do cabeçudo.

sábado, 3 de setembro de 2016

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Sou uma totó...



porque depois de tanto tempo, ainda não consegui deixar de rir ao ver isto.  E sim, acho que já vi mais de 1000 vezes.



quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Aquele momento

Em que percebes que nunca vais entender o porquê das pessoas tirarem fotografias na CASA DE BANHO em modo duck face. Talvez seja eu a croma no meio disto tudo, ou talvez já esteja velhota para achar piada a essas coisas, não sei...

O mundo do trabalho...

é tão mas tão complicado. Desgasta-nos, arrasa-nos, deixa-nos com a cabeça em água ou com os cabelos em pé. O meu há dias em que me deixa maluca (mais do que já sou), desnorteada, com vontade de chegar ali e dizer: "hasta la vista". Mas depois penso no ciclo vicioso: "Trabalho dá dinheiro, dinheiro dá para as despesas e para as viagens, viagens fazem-nos feliz" e pronto por ali vou ficando...Há dias difíceis, e também há dias complicados, mas pior são as tempestades, essas são as piores. Não me chateia que me chateiem, que me façam resmungar, chateia-me que me deixem triste, desanimada, de mal com a vida, isso é que me chateia...

Nota: Foi um mau dia, um daqueles terríveis, basicamente foi um dia de merda. Amanhã estou nova, estou fresca, com sono, mas bem disposta.