terça-feira, 15 de maio de 2018

São fases!

Desabafo cada vez menos por aqui. Não que não tenha necessidade de o fazer mas porque tenho sempre receio do que os outros possam pensar. É, tenho este grave defeito, por mais que diga que não ligo nenhuma ao que os outros pensam, ligo sempre e os maus comentários, as más opiniões afectam-me sempre. Ás vezes gostava realmente de ser mais descontraída, de não pensar tanto, de não colocar tantos "se", de arriscar mais. Não sou!
Nos últimos meses tem sido um rodopio. Comecei com a fase da avalanche de trabalho em que coloquei todos os dias em causa se realmente era este tipo de vida que queria levar. Entretanto fui de férias (para lado nenhum) com a ideia de que o que estava a faltar era descanso. Não resultou.
Tem sido difícil no trabalho e em todo o lado. Quando isto me acontece tento sempre pensar que são apenas fases, fases más ou menos boas, que acabam sempre por passar. Só que às vezes é difícil pensar assim e nos últimos dias tem sido complicado...

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Dias no sofá

Com dias de sofá quero dizer dias de papa séries. Claro está que também fiquei viciada na Casa de Papel, tanto que em 2 semanas devorei a série.  Depois disso fiquei novamente orfã de série. Contudo, não precisei de me esforçar muito, dei de caras com a série Black ish e desde então ando viciada naquilo. É  uma série de comédia, não tem nenhuma grande ciência à sua volta, mas tem sido perfeita para depois de um dia de trabalho e chatices. Farto-me de rir com aquilo. 

terça-feira, 20 de março de 2018

São 8h da manhã...

E estou exausta! Ainda não parei de atender chamadas e de tentar "resolver" os biscates. Sentei-me agora em frente ao computador para beber o meu café, que entretanto já está frio.
Ontem saí eram 8h da noite, tem sido sempre este ritmo.
Não tenho filhos, ainda não tenho filhos, quando tiver não sei como irei gerir este ritmo.
Têm sido dias difíceis.

sexta-feira, 9 de março de 2018

Comer sem parar?

Sim, é possível e tem sido o cenário desta semana. Ando completamente lotada de trabalho, entro cedo e saio mesmo muito tarde. Ando cansada. A consequência? A única coisa que me sabe bem e que me acalma é comer. E não, não é comer uma saladinha de atum, é comer uma lasanha, um pacote de bolachas, umas gomas...enfim. Já tinha tido destas fases em que o stress só aliviava quando comia, mas nos últimos anos aprendi a controlar isso e já há muito que não me "vingava" na comida. A coisa piora porque não tenho conseguido treinar. Há 2 semanas que não faço literalmente nada. Tenho peso na consciência, mas já saio tão tarde do trabalho que a única coisa que me apetece é chegar a casa e ir dormir. Espero na próxima semana voltar à minha rotina normal.

terça-feira, 6 de março de 2018

Sobre a entrada nos 30

Não custou nada e foi um dia muito feliz, apesar do tempo cocó. Não sei muito bem como mas consegui juntar 30 pessoas na minha casa. Este ano queria "fugir" à típica festa no restaurante e queria pela primeira vez ser eu a organizar uma festa lá em casa. Achava que era uma data importante e queria também fazer uma coisa diferente. Organizada como sou comecei a preparar tudo com 3 semanas de antecedência (e acreditem que não é nada cedo), queria receber toda gente da melhor forma possível. Confesso que não foi fácil, deu muito trabalho (principalmente no dia a seguir) e ficou bem mais caro do que se tivéssemos ido a um restaurante mas foi como eu queria. A festa estava à minha medida e completamente de acordo com a fase em que estou a viver. Juntei família e amigos mais próximos e organizei (organizámos ele ajudou-me, caso contrário teria sido ainda mais grave) um lanche ajantarado. Não faltaram os balões dourados, a decoração ao pormenor, o bolo gigante, comida, bebida, surpresas...Esforcei-me muito para que tudo corresse bem e correu. Confesso que no início do dia, mais precisamente durante a manhã, estava com uma dor de cabeça daqui até à lua. Tinha ido beber um copo no dia anterior com uns amigos e como sempre, tinha-me esticado, não estava de ressaca, mas o efeito dos 30 já estavam a dar os primeiros sinais (mentira!Tinha era dormido muito pouco). No entanto à tarde, depois de uma aspirina, a coisa melhorou e era ver-me feliz da vida de um lado para o outro. Foi giro ver toda gente surpreendida ao ver que eu tinha preparado tartes e mousses (sim, porque eu sempre foi a amiga que não cozinhava, só lavava a loiça). Claro, que também tive a ajuda da minha mãe, da mãe dele e das irmãs. Confesso que ainda não sou uma dona de casa ao ponto de fazer moelas e rissóis, mas hei-de chegar lá.
No final ainda tive direito à surpresa das minhas amigas. Fizeram-me um vídeo a contar a minha história até aos 30. Foi muito giro e claro, puxou um bocadinho pela lágrima.
Valeu muito a pena todo o trabalho. Foi tal e qual como eu queria, bem...foi ainda melhor!